Saltos

Saltos

Salto em Comprimento, Triplo Salto, Salto em Altura e Salto à Vara

SALTO EM COMPRIMENTO

Corrida                                Chamada                                              Voo                                    Queda

 

O salto em comprimento consiste em saltar o mais longe possível após uma corrida de balanço fazendo a impulsão com um pé e projetando o corpo para a frente. É executado num local próprio constituído por uma pista para a corrida de balanço e por uma caixa de areia onde é feita a queda. O salto pode ser dividido em quatro partes:

1ª – Corrida de balanço

2ª – Chamada

3ª – Voo

4ª – Queda

 

Aspetos mais importantes na realização do Salto

. Executa corrida de balanço, progressivamente acelerada.

. Chamada coordenada com a corrida de balanço com impulsão enérgica na tábua de chamada.

. Execução de uma passada, o mais longa possível, elevando o joelho da perna livre.

. Junta de seguida a perna de chamada à perna livre.

. Flexão do tronco e braços à frente e queda a dois pés.

 

 

SALTO EM ALTURA

 

Transposição (técnica tesoura)

O estilo tesoura é a técnica mais simples e natural de se transpor a fasquia. No entanto, não permite transpor grandes alturas. Os especialistas em saltos, não satisfeitos com os resultados obtidos, começaram a procurar novas formas de saltar. 

 

 

Transposição (Fosbury flop)

 O salto em altura apresenta quatro fases fundamentais

 

1. Corrida de Aproximação    2. Chamada de Impulsão    3. Fase aérea: tranposição da fasquia   4. Queda/recepção

 

O salto é considerado nulo quando:

· A fasquia cai dos suportes por ação do atleta durante o salto.

· O atleta tocar o solo ou a zona de receção (colchão) para além do plano vertical dos postes, antes de ultrapassar a fasquia