História do Atletismo

História do Atletismo

 

Apresentação Histórica da Modalidade

A origem do atletismo remonta à própria origem do ser humano, que por necessidade, defesa ou até prazer, corria, saltava, lançava.

Antes de existir como modalidade, já o homem corria atrás dos animais, saltava para ultrapassar os obstáculos e lançava pedras para matar os animais com o objetivo de sobreviver.

Depois, cada povo inventou e criou forma variada e competitiva de corrida, de saltos e de lançamentos, quer como preparação para a guerra, quer para agradecimento aos deuses, e mesmo para homenagearem heróis desaparecidos.

O atletismo é o mais antigo de todos os desportos. Está diretamente ligado aos jogos que os Gregos organizavam há mais de 2700 anos, na cidade de Olímpia.

A palavra “Atletismo” provém da palavra Grega Athlos, que significava combate e a palavra “Atleta” tem origem na palavra grega "Athletis" que significava lutador. A primeira corrida terá sido organizada, na Grécia, no ano 776 a.C., data dos primeiros Jogos Olímpicos da Antiguidade, na qual Corobeu de Êlida saiu vencedor da corrida do "Stade", palavra que daria origem a estádio. O comprimento desta prova terá sido fixado por "Hércules", ao percorrer a distância de 600 pés olímpicos, equivalente a 192,27metros.

Outras provas foram sendo acrescentadas, tais como:

. A corrida dupla ou dois estádios, "diaulo", no ano 724aC.;

. A corrida de 12 comprimentos ou de 12 estádios, "diólico", no ano 720aC. Chegou a haver em Olímpia vinte e quatro estádios, ou seja, 4614,72metros;

. O pentatlo, constituído por cinco provas: corrida do estádio, salto em extensão, o lançamento do disco, o lançamento do dardo e a luta.

As falsas partidas, na Grécia antiga, eram punidas por juízes de partida, chegando mesmo ao castigo corporal. Mais tarde seria colocado à frente um cabo estendido que era elevado ou baixado de forma a permitir a partida dos concorrentes.

Os estádios gregos eram em forma "U" de estreito, os degraus eram talhados na própria montanha, em três lados. Uma linha separava os concorrentes do público. A pista dos estádios de Olímpia era delimitada pela "achesis", linha de partida, e pela "terna", linha de chegada. Na linha de partida havia ranhuras feitas com pedaços de mármore, fixados ao solo, para os atletas colocarem os pés. A saída com quatro concorrentes em linha, de pé, era sorteada e havia o sistema de eliminatória e final. Em 1870, começou a utilizar-se uma linha suspensa entre duas estacas, da partida à meta (prova dos 100m), para demarcar o espaço dos concorrentes. Esta seria substituída pela atual linha branca no solo ainda antes da 1ª Guerra Mundial.

Na Real Academia Militar de Saudhurst, em 1810, realizaram-se as primeiras competições modernas de Atletismo. No entanto só em 1913, a federação Internacional de Atletismo Amador (FIAA) foi aceite pelo congresso realizado em Berlim.

A origem do cronómetro remonta ao ano de 1862, com tempos até ao quarto de segundo, no ano de 1895, ao quinto de segundo.

Os Jogos Olímpicos, que duraram cerca de 1000 anos, desapareceram no ano 394 d.C. Reapareceram então há cerca de 100 anos, em 1896, graças a um senhor francês, o Barão Pierre de Coubertin.

No reaparecimento dos Jogos Olímpicos as regras eram muito simples, mas têm vindo a ser apuradas.

Em 1912, nos Jogos Olímpicos de Estocolmo, é usada uma câmara ligada a um cronómetro. Mais tarde, em 1928, nos Jogos olímpicos de Amesterdão, é utilizada a máquina de filmar.

Até 1960, nos Jogos Olímpicos de Roma, em todas as corridas, na linha de chegada era colocado um fio de lã, a 1,22 metros do solo e no mesmo plano da meta para facilitar aos juízes nas chegadas mais confusas, o apuramento do primeiro classificado.

Os japoneses deram um grande impulso nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 1964, com o uso de computadores, com o objetivo de tornarem tudo mais rigoroso. Contudo, seriam os Jogos

Olímpicos do México, em 1968, a proporcionar a cronometragem eletrónica aos centésimos de segundo.

Entretanto, passaram a ser utilizadas outras técnicas, tais como laboratórios para controlo antidoping e determinação do sexo, células fotoeléctricas, mostradores automáticos, colchões de queda para os saltos em altura e com vara.

A pista, no formato de hoje, um circuito de 400m, surgiu pela primeira vez nos Jogos olímpicos de Amesterdão, em 1928. O seu desenvolvimento acompanhou as transformações tecnológicas, desde o tempo em que era de terra batida de cinza até às pistas atuais de fibra sintética, denominadas "tartan", usadas pela primeira vez nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 1964.

Após o ano de 1912, assistiu-se à introdução de novas provas, com destaque para o sector feminino. Nos Jogos Olímpicos de Amesterdão, em 1928, fizeram parte do calendário Olímpico os 100m, os 800m, estafetas 4X100m, o lançamento do disco e o salto em altura.

O Atletismo de hoje é uma mescla de diferentes atividades. Durante o século XIX foram modificadas as regras, primeiro, pela Universidade onde se organizavam as competições de Atletismo e, mais tarde, pelos organismos internacionais e olímpicos, para, em 1926, assumirem a sua forma atual.

Em todos os Jogos Olímpicos é sempre no atletismo que se atingem os momentos "mais altos" e de maior impacto mediático. É talvez a modalidade desportiva onde o ideal olímpico corresponde perfeitamente aos objetivos da própria modalidade - "CITIUS, ALTIUS, FORTIUS" - mais rápido, mais alto, mais forte. De facto o que se procura é ser mais veloz, é chegar em primeiro, chegar mais alto e mais longe, e ainda aguentar melhor as dificuldades da prova, ser mais forte.

Em Portugal, a Federação Portuguesa de Atletismo foi criada em 1921, com o nome de Federação Portuguesa de Sports Atléticos (FPSA) contando apenas com a inscrição de seis clubes.

Foi em 12 de Março de 1922 que houve em Portugal, o primeiro Campeonato de Lisboa de Cross (corta-mato), e, poucas semanas, depois foi organizado o primeiro Campeonato de Portugal.

 

Caracterização da Modalidade

O atletismo pode ser dividido em cinco sectores:

·         Marcha

·         Corridas

·         Saltos

·         Lançamentos

·         Provas combinadas (heptatlo, prova feminina e decatlo, prova masculina)

O calendário oficial é constituído por provas dentro do estádio e fora dele. Dentro do estádio têm lugar provas variadas, tais como:

Corridas – velocidade (100 e 200 metros); meio-fundo (800 e 1500 metros); fundo (5000 e 10000 metros); corridas de obstáculos (3000 metros); corridas de estafetas (4x100 e 4x400 metros).

Saltos – comprimento, triplo-salto, altura e vara.

Lançamentos – peso, disco, dardo e martelo.

Fora do estádio as provas mais conhecidas são as provas de maratona (maratona com 42195 metro e meia-maratona). Existem igualmente competições em pista coberta, onde têm lugar adaptações, relativamente às provas realizadas nos estádios, entre as quais mencionam-se as seguintes:

·         A pista tem um perímetro de 200 metros

·         Nas provas de velocidade a distância é de 60 metros

·         Nos lançamentos realiza-se apenas o lançamento do peso