Capacidades Motoras

Capacidades Motoras

Clica na imagem

CAPACIDADES MOTORAS

 

As capacidades motoras dividem-se em duas dimensões:

  •   Condicionais
  •   Coordenativas

 

O que são Capacidades Físicas?

 

É conjunto de possibilidades que os indivíduos possuem, que podem ser mantidas e desenvolvidas através do treino e que, geralmente representam a quantidade de uma ação motora. O nível de prestação (“performance”) que um indivíduo consegue atingir nas capacidades físicas traduz a sua Condição Física. Por isso quando temos necessidade de correr, ou de fazer força, por qualquer razão, e somos capazes de o fazer, pensamos: “Estou com uma boa condição física” ou “Estou em forma”.

 

Capacidades condicionais:

1- Resistência

2- Força

3- Velocidade

4- Flexibilidade

 

RESISTÊNCIA

Realizar ações motoras globais de longa duração, com o máximo de intensidade naquele tempo, sem diminuição nítida de eficácia, resistindo à fadiga e recuperando com relativa rapidez após o esforço.

Exemplos:

. Realizar Jogos Desportivos Coletivos, com movimentação constante (tanto na defesa como no ataque)

. Prova do Quilómetro

. Prova do Corta Mato

. Nas corridas de média e longa distância, o contacto do pé com o solo é feito, em primeiro lugar com o calcanhar, seguido da parte central, até à ponta do pé, última parte do pé a deixar o solo (calcanhar – ponta do pé).

. Durante uma prova, por exemplo, uma corrida de média/longa distância, cuja finalidade é o desenvolvimento da Resistência, a frequência cardíaca deve estar compreendida entre 140 e 180 pulsações por minuto (35-45 pulsações em 15 segundos).

 

FORÇA

Realizar ações motoras de contração muscular para vencer resistências, de carga fraca a ligeira, em esforços de duração relativamente prolongada, opondo-se à instalação da fadiga, sem diminuição nítida de eficácia.

Exemplos:

. Jogo do “Puxa-Empurra”.

. Salto horizontal, a pés juntos, na máxima distância, partindo da posição de parado e com pés paralelos.

. Carrinho de mão

. Saltos com um pé (“pé coxinho”)

. Flexões/Extensões dos Braços

 

VELOCIDADE

Realizar ações motoras globais, percorrendo curtas distâncias no menor tempo possível, sem perda de eficácia

Exemplos:

. Corridas de velocidade (30, 40 metros)

. Num jogo coletivo, chegar primeiro à bola do que o adversário

 

FLEXIBILIDADE

Realizar ações motoras com grande amplitude, à custa de elevada mobilidade articular e elasticidade muscular, contribuindo para a qualidade de execução dessas ações

Exemplos:

. Andar de “cócoras”

. Afundos laterais e frontais

. Ponte

. Sapo

. Toca com as mãos nos pés, partindo da posição de sentado, flectindo o tronco à frente, mantendo as pernas juntas ou afastadas, e em extensão completa.

. Balança uma e outra das pernas, em extensão, elevando-a à frente, mais alto que a bacia, de pé e com a mão apoiada no espaldar ou num companheiro, mantendo a perna de apoio em extensão.

 

As capacidades coordenativas constituem-se como fundamentais na aprendizagem e desenvolvimento das habilidades motoras, e também, para a assimilação dos gestos técnicos de forma mais correta e eficiente.

 

Alguns Exemplos de Capacidades Coordenativas:

1- Orientação

2- Reação

3- Rítmo 

4- Equilíbrio

 

ORIENTAÇÃO ESPACIAL

Faculdade de se aperceber das modificações espaciais à medida que elas intervêm na execução dos movimentos;

 

REAÇÃO

Realizar ações motoras, o mais rapidamente possível, respondendo a um sinal, visual ou auditivo.

Exemplos:

. A partida numa prova de velocidade.

. Colocar o corpo numa determinada posição, ao sinal combinado.

. Jogos de oposição (tocar nos joelhos do companheiro)

 

RÍTMO

Faculdade de imprimir uma certa cadência à realização de um movimento ou de “apanhar” essa cadência quando ela é dada;

Exemplo:

. Dança

 

EQUILÍBRIO

Realizar ações motoras, quer estáticas, quer dinâmicas, visando a manutenção do corpo em posições estáveis.

Exemplos:

. Avião Facial

. Bandeira

. Saltos com um pé (“pé coxinho”)